segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Sobre amigos de uma década compartilhando o Nhoque nos dias 29!!!

Gente, a quanto tempo não escrevo por aqui !!!
Uma atividade que me faz tão bem, me acalma, organiza minha idéias, esvazia minha mente e eu deixando de lado.... Ponto a registrar no #BUJO (falo dele outra hora ok?!)

Bem, vamos ao que interessa. O que me traz aqui hoje é alegria.
A alegria de estar comemorando hoje, 10 anos de refeições compartilhadas com pessoas especiais.  as Pode ser coisa do dia a dia compartilhar refeições com a família e amigos, mas não é não viu?! Sentar à mesa, conversar, gostar de estar junto, cozinhar para o outro é uma dádiva. Um presente!!!
Se você faz isto regularmente com sua família, agradeça muito.
E se faz isto com amigos, família escolhida, durante 10 anos, todos os dias 29, então você deve estar feliz como eu. Ehhhhhhh!!!!
Dessas alegrias que só quem vive a experiência dá o devido valor e dimensão!!!

Esta tradição do Nhoque da Prosperidade já era da minha mãe antes de eu casar, acho?! Não me lembro quando ela começou com isto e, registre-se, ela não é Italiana nem descendente.
Ela, como eu, gosta de juntar gente. Gostamos de casa cheia. Gostamos de receber e isto é era super comum em BH, na casa dela e mantive meus grupos quando me casei.

Depois de mudar para Brasilia, nos tinhamos os colegas de trabalho, pessoas queridas, amigos posso dizer assim. Mas aquele hábito de frequentar a casa, uns dos outros, não rolava.
Achei tudo muito estranho no começo.

No trabalho nos viamos todos os dias conversarvamos, trocados carências problemas, sonhos, mas era amizade de horário comercial e alguns happy hours, poucos, afinal JV era baby.
Como eu senti falta dos sábados à noite com amigos em casa e domingos regados à almoço e família.

Em agosto de 2006 comentei sobre isto com uns amigos do trabalho e Adalgisa, que ama cozinhar e é nossa Chef Master do Nhoque, logo topou a ideia de um encontro no findi, para extrapolar o trabalho.

Assim começou o Nosso Nhoque de San Genaro. Com direito a dolar debaixo do prato e uma oração. Este durou um mês, na verdade. Éramos mais de três, crenças diversas, abolimos o lado religioso e ficamos com o Nhoque da Prosperidade = "Ausência de Necessidade", melhor do que Fortuna, não acham?!

Bem, hoje é o Nhoque entre amigos!!! O grupo base teve uma pequena alteração nestes 10 anos, mas a essência é a mesma. Comer juntos o Nhoque. Conversar de tudo, rir muito, compartilhar.
Juntos, nos dias 29, seja dia de semana ou não, com chuva ou não, com todos ou alguns.
Sempre aqui em casa, com rarissimas excessões abertas para férias, situações médicas ou inéditas como uns poucos restaurantes nos encontros de dezembro e como a que nos reunimos com um outro grupo que passou a compartilhar refeições há algum tempo. Inspirados na gente. E a gente fica feliz em inspirar. rsrsrsrs

Quando estamos de férias, o Nhoque acontece em outra casa aqui em Brasilia. Nossa cozinheira "mara" já fez Nhoque pelo mundo nos dias 29 em que estava fora e todos tentam manter a tradição e a energia quando não estão no Planalto Central com os demais.

A massa do Nhoque é comprada pronta. E somos fieis à #Toscanelo. Uma facilidade para os 29 à noite, mas o molho é sempre especial!!! Já provamos tantas receitas gostosas. Ah, e temos a Cozinheira Mor e uma substituta que garante a refeição quando a Chefe está em viagem. Tinhamos uma doceira de mão cheia também, mas ela se profissionalizou e nos deixou. Com menos calorias e menos prazer também. Volta Gi, volta!!!

Confesso que hoje bebemos menos do que no começo, porém a qualidade melhorou muito rsrsrsrs.
No início era espumante Nacional dai uns e outros (heheh) se tornaram entendendores de vinhos e afins e o negócio melhorou muito minha gente!!! Hoje as rolhas são infinitamente mais saborosas.
Ah, e rolha é o que não falta nesta casa!!!

Basta olhar pro vidro de rolhas e todas as emoçoes boas dos nossos encontros volta à minha mente. Isto não tem preço!!!

Nestes dez anos o grupo esteve aberto para visitantes. E foram tantos e tão especiais!!!
Tem gente que pede para voltar - acho tão lindo!!!. Tem gente que pediu pra vir de tanto ouvir falar. Tem os que vieram mais de uma vez. Tem gente que veio de fora de Brasília e do Brasil!!! Somos internacionais minha gente e nos orgulharmos em receber nossos visitantes com tanto carinho.
Tem gente querida que ainda não veio...ahhhh ....tudo bem, não há de faltar oportunidade nos próximos 10 anos, não é mesmo amigos?!

Bem, eu vou parando por aqui porque os olhos já marejam e tenho uma sobremesa para fazer.
Porém não posso deixar de deixar registrado minha gratidão por este grupo que tanto me ofertou nestes anos todos. Minha família se sente muito amada por vocês. Aprendemos muito com vocês, desde a nos organizar até a importância em se "cuidar" deste momento tão nosso e de tanto amor!!

Que eu os amo vocês já sabem. Hoje deixo aqui, mais uma vez minha gratidão a vocês e ao universo que nos reuniu!!!!

E para você que está lendo e deu vontade de ter um grupo assim, dê um passo em direção ao outro.
Neste mundo estamos vivendo, cada vez mais, cada um na sua. Pode até ter um lado bom bom, mas não é legal não, creia.

domingo, 24 de abril de 2016

Praticando: olhar, pensar e me afastar....em silêncio. Sem resposta imediata

Oi?! Tem gente ai me lendo?!
Se tem desculpem-me. Ando sumida né?!

O objetivo do blog era escrever para aliviar, para tirar da mente tantos pensamentos, afinal sou uma pessoa que tem pensamentos diversamente obsessivos.
Diversamente por que são vários temas. Penso sobre tudo. De reforma à bordado, passando por tratamentos alternativos, medos, viagens mil, todos os temas ditos exotéricos e o trabalho, claro.
Obsessivos por são constantes. Não paro de pensar um minuto.

Não paro nunca é exagero. Reduzo a intensidade quando trabalho com as mãos. E tem trabalhado muito com elas. (Montei uma empresa com duas amigas. Negócio: Presente especiais. Material prima básica: papel.) isto além do trabalho forma e a atuação como síndica.

Ou seja. a vida tá perfeita!!!
Tá. ok. não está tudo perfeito.
Mas está muito, muito bom e isto é quase perfeito, não?!
Para que ficar desvalorizando.....
Não, não, não. "Copo meio cheio" é sempre minha perspectiva.
Ver o lado bom das coisas. Valorizar o que temos e o que somos.
Massss.... sempre tentando melhorar, superar, sonhando e alcançando.
E nesta onda que estou escrevendo hoje.

O "tempo" teve ruim estes dias.
Palavras atravessadas, impaciência....a mesma questão de sempre... o amor que há no coração não se faz presente na fala. O externo, o "modelo social" é mais forte que a essência.

Teve também a questão clássica:  Escola, notas, média.... resultado x investimentos.... resultado x maturidade..... expectativas x potencial....
ai ai ai meu Deus.... foi difícil. muito difícil.
Me bateu uma deprê... daquele tipo: onde foi que eu errei?!?! O que eu deixei de fazer??? Será que fui ausente?!?!?

E dai - na minha cabeça - você me pergunta: Cadê a perspectiva do "copo meio cheio"???

Aha!!! Eu te explico.
Quando peguei o boletim dei conta de sentir o que era verdadeiro em mim, mas também dei conta de dizer:
- Agora não vou conversar sobre isto, para não dizer coisas que vou me arrepender depois.
Disse isto com tranquilidade, me afastei e pensei por 4 dias.
Foi ótimo. foi lindo, foi libertador...
A conversa que foi feita depois desta ação foi calma, sincera, lógica e amorosa. Difícil mas amorosa.

E hoje, quando abro o facebook me deparo com este texto aqui
Coincidência ou não o Universo está me dizendo: tá vendo menina, continua nesta linha que vai ser melhor para você!!! Desanima não. Com a prática e a experiência você vai conseguir olhar, pensar e se afastar antes de responder às impaciências e aos exageros.

Funcionou num determinado momento. Vai funcionar em outros também!!!

Então, vamos nessa!!!
Tudo tem um lado bom mesmo que abaixo da média hehehehe
Boa semana

terça-feira, 8 de março de 2016

Minha 1ª grande decisão como e "enquanto" mulher...

Hoje, acordei muito cedo, pros colírios.
Os olhos ainda doem mas, como passar o dia sem uma homenagem as mulheres que amo, conheço, convivo e o jeito mais amplo de fazer isto é acessando o Face. Desculpe-me Dr. Jadir...

Não resisti a dar uma olhada no feed, claro,  e uma postagem me trouxe a lembrança da primeira grande decisão que tomei para assumir a mulher que sou e como foi feliz esta minha decisão.
Foi uma decisão de amor, de felicidade.

A postagem compartilhava um vídeo de Zaz... Je Veux.
Eu assisti , que bom, havia tradução. "Inda bem" já que meu francês não existe rsrsrsrs
A letra diz assim:

Me dê uma suíte no Ritz, eu não quero! Joias da Chanel, eu não quero!
Me dê uma limusine, o que é que eu faria?  Me dê empregados, o que é que eu faria?
A mansão Neufchatel, isso não é para mim. Me dê a Torre Eiffel, o que é que eu faria?

Eu quero amor, alegria, bom humor. Não é o dinheiro que me trará felicidade,
Eu quero morrer com a mão no coração. Vamos juntos, descobrir a minha liberdade,
Portanto, esqueçam todos os vossos padrões, Bem-vindo à minha realidade!


E ai, o que isto tem haver com a minha decisão?! Eu conto....

Minha mãe, no seu infinito amor, foi criada para ser mulher casamenteira, cuidar da casa e dos filhos. A vida mostrou a ela a fome e a ensinou a trabalhar para viver aos 11 anos de idade.

Tudo ela me repassou, do jeito e no tanto que ela deu conta. Sempre buscando o melhor e os discursos, entre linhas, eram assim: Divertir é bom e necessário, mas o trabalho primeiro. Independência é preciso. Ter seu próprio dinheiro é fundamental. Segurança é essencial e o marido proverá isto. E se tiver amor, melhor ainda.

Um dia no auge da minha dúvida existencial, em 1994, eu aos 27 e ela aos 64, cheguei a ouvir:
- Filha, ele é um rapaz que pode te dar uma vida boa, trabalhador, honesto, responsável, ele gosta muito de você.  Você ainda quer que ele seja amável, afetuoso....Impossível ter tudo."

Gente, nunca houve maldade ai. Da vida e das verdades que marcaram a alma e a carne era o melhor conselho que ela tinha para mim. Não havia outra perspectiva no mundo que ela estava inserida.

Enfim, mulheres amigas me instigavam e uma mulher terapeuta me ajudou a emergir a minha essencia, o meu querer. Assim eu conheci a mulher que eu era e o que era importante para mim.

Daquele rapaz bonzinho eu me afastei e saltei para vida. 
Minha primeira "luta" feminina...romper o modelo..

Trabalhei muito, viajei, conheci o "mundo" e o universo tratou de me ajudar a reencontrar o
outro rapaz, que anos atrás, eu havia vivenciado o amor, alegria, bom humor!!!
Era isto que eu queria, amor, alegria, bom humor!!!
Porque trabalho, casa, dinheiro eu tinha para mim mesma resultado do meu esforço e ninguém precisava me dar.

Juntos, com amor, alegria e bom humor, tratamos de construir a nossa vida boa, no tamanho do nosso desejo e no tanto que nos proporciona a paz para dormir tranquilo.

Ele cuida de mim?!Sim. É meu porto seguro?! sim.
Quero viver sem ele não e não é por dependência.
É porque somos dois. Juntos é melhor. Somos felizes unidos, sem disputa de espaço ou direitos.
Não quero ser igual e nem viver nas mesmas condições.
Quero que o respeito que termos permaneça.
Ele homem. Eu mulher.
Que se encontram no amor.
Simples assim..



terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

Ela se foi aos 70, forte e bonitona como sempre a vi.

Cada dia mais me convenço que a vida é o "aqui e o agora"...
as pessoas em primeiro lugar , sempre.
E que precisamos declarar nosso afeto e gratidão às pessoas que cruzam a nossa vida de forma positiva.
Nunca, nunca, deixe de declarar sua gratidão, seu amor, sua alegria às pessoas que lhe fazem bem, na hora em que você está com elas. Pode não haver uma segunda chance.
 
Marli foi uma dessas pessoas que marcou a minha vida. Amiga de minha mãe.
Amizade do tipo para vida toda e de outras vidas, sabe?!
Desde que me entendo por gente Marli faz parte da minha ´história.
Ela e os seus, que também eram nossos. Duas gerações. Duas gerações de amigos.
 
Elas sempre juntas no porão de costura. Eu junto com os filhos dela, na rua, na escada vermelha da Vó, nas horas dançantes...
 
Aprendi a fumar por causa das duas. Elas me mandavam comprar um picado e tinha que chegar no porão de costura com ele já acesso. Aprendi ai. E tomei muito pitos também., porque não podia fumar ora!!!! Criança não fumava.
 
Marli tinha uma cara séria, brava que só, mas um sorriso maroto no canto do lábio.
Parecia que tava sempre pensando em algo "safado" rsrsrsrs
Ela tinha sorriso de traquinagem, me entende...
 
Ela adorava a época de seca e eu na escola. Piolho na certa. Ela A-MA-VA catar piolho na minha cabeça. Alta e forte como era, me prendia entre suas pernas e vinha com o pente fino e a unhas grandes....
Eu achava ruim a beça, eu chorava, ficava triste, mas por incrível que parece esta é uma lembrança tão gostosa que tenho da minha infância. Me faz rir quando lembro dela rindo de mim e se deliciando com os meus piolhos....
 
Lembro que no meio da tarde, quando elas paravam para um cafezinho e um "picado", ela, mamãe e Marlene Café (outra amizade linda de minha mãe) elas conversavam sobre a vida de cada uma, confidenciavam algumas tristezas, mas sem julgamento, cada uma respeitava as escolhas da outra e o contexto de cada uma. Cada uma delas tinha uma ou mais cruzes para carregar, que não eram fáceis,  mas elas dividiam o peso.
 
Se elas me ouvissem chegar, a conversa parava na hora e eu ficava imaginando o que havia de tanto segredo,,, 40 anos depois a gente acaba sabendo partes das histórias e se pergunta: como elas conseguiam ser felizes apesar de tudo que passaram?! Como?!
 
Lembro, o misto de alegria e tristeza, da minha mãe quando a Marli contou que ia embora para os EUA. Minha mãe ia ficar longe de mais uma amiga. Márcia já havia ido anos antes. Mas mamãe sabia o quanto esta mudança podia fazer bem a ela e aos seus.
Mamãe sublimou sua própria tristeza e saudade na alegria de ver a amiga "melhorar de vida" e realizar um sonho. Ela me disse: Posso ficar triste não, vai ser bom para ela, para as crianças!!!

Não me lembro o ano. Talvez que estivesse ocupada demais com a turma da escola e alguma namorado. Não me lembro de ter dito a ela que sentiria falta. Não me lembro nem mesmo de termos nos despedido. Louco isto não é?!
 
Graças as voltas que a vida dá em 2008 eu pude vê-la de novo.
Recebida pela Sônia e família, sua segunda filha, pude reviver tantas lembranças...tão gostoso.
Fiquei feliz de ver todos felizes, tocando a vida de forma saudável feliz e prospera,
Mas minha mãe não a via a tempos...sei lá quantos anos.
   
 
 Numa noite, lá na casa dela, ela nos disse assim: Kaká, eu não volto ao Brasil mais, mas queria ver minha amiga de novo. Esta é uma das saudades que tenho do Brasil. Pedido feito, promessa firmada.
 
Eu levaria mamãe para vê-la no aniversário de 80 em 2010.
Deus, obrigada, por permitir cumprir esta promessa.
Obrigada pelo trabalho que nos possibilitou a viagem e pela saúde de minha mãe.
 
Elas conversavam o dia todo. Todo dia.
As duas juntas o tempo todo. Muito carinho e cuidado.
Toda família curtindo a Tia Dirce e elas se curtindo.

 
 
Bem, ela voltou ao Brasil....
E elas puderam se curtir mais um pouco.
Teve almoço, teve café, canjiquinha.
Teve desabafo, risada, lembranças boas e triste e teve arroz doce.
 
Elas tiveram tempo, graças a Deus.
E lá na casa de mamãe, já nos seus 85, tem uma muda de planta esperando Marli voltar ao Brasil para buscar, só porque Marli gostou e mamãe queria lhe agradar.
 
Fica a saudade e a certeza de que a vida foi produtiva, feliz e gloriosa.
A vida foi vivida, na intensidade necessária.
Fica a lembrança do sorriso maroto, daquele carinho escondido no jeitão "brabo" que só ela tinha,
 
Fica a nossa gratidão!!!
 
 

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Feliz ano novo para mim!!!

Hoje eu completo 48 anos de vida, aqui...
Mais precisamente daqui a 26 minutos já que são 20h04m e nasci às 20h30m.
Nasci num domingo, talvez por isto eu sempre começo meu dia super, mega, ultra animada a fazer mil e uma coisas e do almoço para frente vou desanimando, baixa uma preguiça e os planos todos vão ficando para trás e quando me percebo, nem comemorei como planejado...
Séria cômico se não fosse um tanto "down"....

Mas isto não é depressão não. Sempre fui assim....
Adoro aniversários, Comemoro o meu aniversário na minha cabeça muito antes de estar perto...
Lá pelo dia das crianças eu já estou eufórica. Na minha cabeça vai ter festa, saída, boteco, muitas ligações, família, amigos, enfim...festejo.
Mas quem planeja tudo isto é a mente.
Na verdade, quando chega o dia parece que quero é ficar comigo mesma.
A alma quer sossego.

Este ano em especial, pude ter minha mãe comigo, se aninhando na minha cama bem cedinho..
Ganhei uma aconchego gostoso e aquele olhar...Ahhhh aquele olhar de um amor que só ela sabe me ofertar. Depois rimos muito do presente que ela me deu e começamos o dia assim: em altas e boas gargalhadas.

Teve café da manhã com coisas gostosas que o marido comprou.
Ele postou msg linda no face, filhote pediu para tirar uma foto - com um beijo muito carinhoso - para postar no Instagram...(isto representa muito para um garoto de 15 anos).
Recebi mensagens lindas por todos os canais que o lado bom da tecnologia nos oferece. Ligação da minha amiga de fraldas, que hoje mora além mar... Ganhei presente da minha irmã daqui.
O que eu posso querer mais?! Nada.
Me sinto grata por tudo isto.

Se é assim, porque o desanimo e o cancelamento do jantar que já estava reservado e tudo mais?!
Ixxxi. Ai mora uma questão que daria texto para livro, terapia, pesquisas, dissertações e muito mais.
Eu quero um sossego neste meu renascimento... Eu quero estar comigo e, se tem uma coisa que aprendi nestes 48 anos, é que a alegria, a satisfação e o prazer não estão nas coisas (presentes, festas, jantares...).
A gente encontra a paz, apenas, dentro de nós. As pessoas - que são infinitamente mais importantes que as coisas - nos ajudam muito nisto. Mas a paz de espirito, a paz que nos traz a alegria interna, essa somente é possível encontrar dentro de nós....

E neste momento, em que estou coroando a cabeça para nascer, eu quero esta paz!!!
Quero olhar para mim, ser sincera comigo, pensar em como foi o ano que passou e como gostaria de viver o que virá...
Isto não vou encontrar num restaurante, ou numa bebida de bar...
Eu quero paz, aceitar o meu silêncio e a minha quietude. ..

Hoje é importante sim, e eu tinha feito planos.
Mas a vida não é só planejamento não. A vida é vivida.
E no viver tudo pode mudar e é preciso entender que há felicidade no imprevisto, aprendizado na adversidade, crescimento na dor...
Aliás, outra coisa que aprendi nesse meu tempo até aqui é que quanto mais a gente aceita, melhor.
E que uma dose, salutar, do "olhar de Poliana" também faz muito bem?!
..
Bem, é isto.
Entre a hora que comecei escrever e agora: já "nasci" rsrsr, participei de um debate mãe/adolescente sobre poder ir a uma festa ou não, ouvi um pequeno resumo - e muito interessante - sobre o que é o 12 na Cabala, recebi mais quatro ligações muito especiais e vou comer minha pizza com uma taça de vinho...
Possivelmente, vou ver TV até tarde - programa que gosto muito - e vou dormir feliz.
Mil pensamentos na cabeça, muitas certezas e dúvidas sem fim, mas esta sou eu aos 48.
Feliz aos 48. Buscando aos 48.... e ainda maravilhada com as voltas que o mundo dá....
Feliz ano novo para mim.
Que os próximos 365 dias role muito de tudo que me faz feliz!!!